Oi, eu sou o pai louco do apartamento 22

Oi, eu sou o pai louco do apartamento 22


Oi, eu sou o pai louco do apartamento 22, que parece que está espancando a filha. Mas o choro dela, na maioria das vezes é por falarmos NÃO, e no resto das outras vezes é por falarmos NÃO PODE.

Eu amo minha filha, mas ela está em uma fase em que precisa começar a ser educada pra não se tornar um péssimo ser humano quando crescer. Sim, eu sou o pai que dá uns gritos e tenta conversar quando ela faz alguma coisa errada.

Já dei tapinha na mão e no bumbum dela também.

Já perdi a paciência e deixei ela de castigo no cantinho do pensamento. Ja neguei colo quando ela estava aos berros/birra.

Já falei que amo minha filha? Na maioria das vezes os berros que ela solta é justamente por ser contrariada, mas como ela não vai reinar em casa (apesar de ser a minha princesa), nós temos que controlar a situação e mostrar que ela ainda precisa conquistar os direitos dela, com respeito e educação.

Às vezes é difícil organizar as coisas e falamos alto sim, nessa fase a criança tem dificuldade em manter o foco das coisas e às vezes, só um grito funciona. Somos testados o tempo todo por ela.

Não, eu não sou o pai que eu queria ser pois as coisas são completamente diferentes de como imaginei. Criar é difícil, educar é quase uma arte (como dizem), e a paciência é o que você mais vai perder.

Sempre dei banho, coloquei pra dormir, sempre fiz o “dedê”, troquei fraldas e também a maioria dos gostos dela. Já falei que amo minha filha né?

Agora é a hora de começar a mostrar que a vida não é do jeito que eles querem, nada é fácil e nada vem fácil.

Oi, eu sou o pai louco do apartamento 22 que está tentando educar a filha, portanto se você não tem filhos, apenas respeite. E se você tem, apenas entenda.

 

(Inspirado em um texto de uma mãe)

Comments

comments

+ Sem comentários ainda

Comente!